13 janeiro 2013

17

Cinema, pipoca e imaginação: O Hobbit - Uma Jornada Inesperada



Diretor: Peter Jackson
Elenco: Martin Freeman, Ian McKellen e Richard Armitage
Produção: Peter Jackson, Fran Walsh, Carolynne Cunaningham
Gênero: Aventura
Duração: 169 min.
Ano: 2012
País: EUA/ Nova Zelândia
Distribuidora: Warner Bros.
Classificação: 12 anos
Meus caros amigos lisos, inauguramos uma nova fase, contamos com novos colaboradores, layout, patrono, enfim, tudo novo menos a catingosa flatulência daquele que vos escreve. E nada como reinaugurar nossa sessão cinematográfica com um filme que traz de volta uma história que nos encantou há pouco mais de uma década.

Diretamente da Terra Média, nos reencontramos com um mago em seus maltrapilhos cinzentos, hobbits, anões, orcs, elfos, enfim, o universo fantástico de J. R. R. Tolkien que retorna à telona numa nova trilogia dirigida por Peter Jackson, idealizador da mítica saga de O Senhor dos Anéis.

E a tal 'Jornada Inesperada' se inicia quando Gandalf (Ian McKellen, em uma performance mais uma vez brilhante) e uma comitiva de treze anões liderada por Thorin Escudo de Carvalho (Richard Armitage) resolvem contratar o hobbit Bilbo Bolseiro (Martin Freeman) tio do Frodo Cagão numa tentativa de reconquistar o tesouro dos anões tomado pelo terrível dragão Smaug (dublado pelo fenomenal Benedict Cumberbatch) nos tempos em que o reino sob a Montanha Solitária  guardava seus momentos de glória.

Fazendo uma análise geral da película, percebemos que Peter Jackson não define bem qual caminho sua narrativa deva seguir, seja pelo tom infantil e leve presente no livro que dá origem à adaptação, seja pelo épico que permeou toda a saga do anel de uma década atrás, sendo esta, portanto, maior falha da projeção que dura quase três horas.

Levando-se em conta que a trilogia do Anel possuía mais de mil páginas e foram reservados três filmes para a adaptação, o que dizer de uma obra com menos de 300 páginas e mais três filmes a serem adaptados? Poisé, né? Está aí outra grande falha d'O Hobbit que acaba prejudicando a história contada, pois em certos momentos você vê tomadas extremamente desnecessárias que serviam somente para "encher linguiça" e "inchar o filme" (Leia-se a passagem do Mago Radagast, que meu amigo nerd Elvio Franklin brilhantemente  definiu como Jar Jar Binks de Peter Jackson).


Pra não dizer que só vi defeitos, podemos elencar vários momentos onde os fãs ficarão em polvorosa.
Para começar, o rapazinho à nossa direita, ele mesmo, o preciosssssoooo, Smeagol ou Gollum retorna numa interpretação irretocável de Andy Serkis nos proporcionando magníficos momentos no jogo de adivinhas com Bilbo (spoiler não tão spoilerento: neste momento teremos o elo de ligação com O Senhor dos Anéis construído).
Falando em termos técnicos, não temos nada a reclamar dos efeitos visuais, sonoros, fotografia ou ainda da tecnologia de captura de movimentos utilizada por Andy Serkis, que foi aprimorada, enfim, as indicações recebidas ao Oscar falam por si mesmas.


Não poderia deixar de destacar a irrepreensível trilha sonora que deu voz à canção Misty Mountains ou Song of Lonely Mountain cantada pelos anões e que se torna a trilha principal de toda a trama! É DE ARREPIAR OS PELOS DO... BRAÇO! HAHA! Confiram o link da música interpretada por Neil Finn logo abaixo.

http://www.youtube.com/watch?v=tqnSoTgjBrg

Bem, caros amigos, 'O Hobbit - Uma Jornada Inesperada' é uma boa pedida e se você não viu ainda, se apresse, pois está em cartaz há quase um mês!

Já estou maluco aguardando a segunda parte intitulada "A Desolação de Smaug" que estreia em 13 de Dezembro deste ano e o capítulo final que se chama "Lá e de Volta Outra Vez" que chegará aos cinemas em meados de 2014.

No mais, tenho a lhes dizer que O Hobbit vale o ingresso, a pipoca e ainda o pão com ovo!
Até a próxima!

17 comentários:

  1. Engraçado, ja vi gente reclamando de livro que virou filme, por que o livro era muito grande, muito detalhado e o filme muito resumido.

    E ae a galera decide fazer 3 filmes de um livro, pra ficar mais detalhado, mais fiel a narrativa e pra ganhar mais dinheiro obviamente, pessoal vai e reclama que são filmes demais pra livro de menos.

    Humanos... vai entender...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só que pra acabar com a história também é fácil, afinal a história não é tão extensa assim.

      Excluir
  2. Eu assisti o filme e simplesmente AMEI!
    Espero que já que farão três filmes para o livro consigam fazer uma adaptação bem fiel e consiga mais admiradores para a obra.

    ResponderExcluir
  3. Oioi!

    Eu li o livro e achei bem infantil - o que de fato era pra ser mesmo -, já que Tolkien escreveu essa história para seus filhos.
    No entanto, mesmo os produtores criando 3 filmes para a história, eu gostei muito mais do filme do que do livro.
    Pra mim foi tudo perfeito. :)

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você curtiu as adaptações. ^^

      Excluir
  4. Eu não li os livros pra saber se a adaptação foi realmente fiel ou não, mas vi os 3 filmes e tb achei que tinham muitas cenas desnecessárias... Mas daí, temos de lembrar que o Studio é quem manda e quem visa os lucros... então.... Os efeitos são belíssimos, não há dúvidas, e temos ótimas interpretações. É um bom entretenimento, mesmo que n seja fiel à obra original.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que não dá pra ser tão bom porque a obra não era tão extensa pra virar três filmes, mas com certeza os efeitos foram ótimos.

      Excluir
  5. Oi. eu gostei muito da adaptação, não vou dizer que é a minha preferida, mas está num cantinho bem especial. Pena que não funcionou com você.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você. Uma boa adaptação, mas nada extraordinário.

      Excluir
  6. Queria poder dizer algo sobre, mas confesso que eu dormi na metade do filme porque achei muito chato. Tolkien nunca foi muito pra mim mesmo.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaahahahah!
      É uma pena que tenha sido tão chato assim pra você.

      Excluir
  7. Oi!
    Eu só assisti o começo de O Hobbit e depois abandonei o filme, parecia ser só enrolação! Assim como vc citou, eu li uma crítica que falava que demorava quase metade da duração do filme para o enredo de fato se iniciar. Chato isso, né? Viram o sucesso de O Senhor dos Anéis e agora querem empurrar goela abaixo dos fãs vários filmes só pq podem --'
    Abraços,
    Andy - http://www.starbooks.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mais ou menos isso mesmo.
      Como eram três filmes eles enrolaram muito para desenvolver.

      Excluir
  8. Gostei muito da adaptação, apesar do final não ter agradado. Mas, esse primeiro é empolgante e como você a musica significa horrores pra mim.
    Obrigada por me relembrar deste filme maravilhoso.

    ResponderExcluir
  9. Oie
    eu nunca li nem vi pois nunca tive muita curiosidade, não é bem o gênero que curto mas mesmo assim bem legal sua resenha

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

 
© Copyright 2015. Template by LuMartinho.