19 outubro 2016

13

Pra ler no busão: A Intrusa

Título: A Intrusa
Autor: Júlia Lopes de Almeida
Páginas: 232
Ano: 2016
Edição lida: 1ª edição
Editora: Pedrazul
Sinopse: "Um clássico nacional à moda europeia! A história de uma jovem governanta chamada Alice Galba.O século XIX caminhava para o fim, o Rio de Janeiro vivia o auge da cultura cosmopolita, a Belle Époque, marcada por profundas transformações culturais que se traduziam em novos modos de pensar e de viver o cotidiano. Em meio à aristocracia carioca, um rico advogado – viúvo, mas ainda jovem e atraente – era perseguido por mães casamenteiras que desejavam ter um genro abastado e influente. Porém, ele se esquivava resoluto, pois prometera à esposa, no leito de morte, manter sua viuvez. O casamento com a filha de um barão resultou em um fruto: uma garotinha mimada e sem modos, criada pelos avós maternos, cuja avó baronesa fazia-lhe todas as vontades. Infeliz pela má educação da menina, ludibriado por um escravo que usava as suas roupas, fumava os seus charutos, bebia fartamente da adega e ainda inflacionava as contas da casa, ele decide contratar uma governanta. Desconsiderando todas as críticas feitas pelos amigos e pela sogra ciumenta, ele pede ajuda ao padre Assunção, seu amigo de infância, e publica um anúncio num jornal à procura de uma governanta. Atendendo ao anúncio, aparece Alice Galba, que aceita a estranha condição: que o patrão jamais a visse. Quando ele entrava pelo portão, ela se escondia. Dela ele apenas sentia o perfume e sua boa influência no lar e na educação da filha. Suas roupas agora estavam impecáveis, a mesa sempre bem posta e arranjada com esmero, a comida saborosa e os móveis reformados, de forma que começou a desejar ardentemente voltar para sua (agora agradável) moradia. Vez ou outra encontrava um livro aberto, esquecido sobre uma poltrona e, com o passar dos meses, passou a notar a doce presença da alma da moça pelos cômodos do casarão. Alma cujo rosto ele já ansiava ver!"

Não tenho mais nada a falar sobre a trama, pois a sinopse é bem completa.
Vemos exatamente o que diz nela e se eu falar mais alguma coisa seriam spoilers.

Sendo assim, vamos nos ater ao fato de que Argemiro contratou dona Alice e sua regra maior é que nunca topasse com ela na casa e assim foi feito.
Quando ele entrava a moça se escondia. É claro que ninguém acreditava na história e achavam que ela era amante dele, mas a moça continuava firme em seus princípios e não se deixava levar pelo disse que disse.

O poder que ela teve sobre Maria, filha de Argemiro, foi espetacular. Ela mudou a menina da água para o vinho. Deixou de ser mimada e egoísta para aprender a ser educada e bondosa.


O problema (ou talvez a solução) foi que Argemiro passou a se sentir muito bem com todas as transformações que Alice provocou em sua vida e de vez em quando ficava bem tentado a vê-la, mas não dava o braço a torcer.

Por fim, a sogra era um porre seu maior intento era infernizar o homem lembrando que ele deveria ficar viúvo para sempre devido a sua promessa a mulher no leito de morte. Padre Assunção era meio que o conector da história, pois era o único que falava tanto com Alice como com Argemiro e confesso que de vez em quando o padre irritava pelo jeito dele.

Eu AMO romances de época, então fiquei super empolgada quando vi que esse era mais ou menos assim.

Ele até é de época, mas nada tem a ver com o tipo que estamos acostumados a ver. Ele é um romance de época onde a mocinha não fica suspirando pelo mocinho (que no caso não é tão mocinho).

O fato do principal já ser viúvo e ter uma filha deu um quê a mais na narrativa. Ele não é o tipo de protagonista que era arrogante e cai de amores pela mocinha.

Por isso afirmo que esse livro é tão diferente e é nessas diferenças que ele nos conquista.


A capa tem tudo a ver com a história.

A diagramação é bem bonita e não encontrei nenhum problema de revisão.

Recomendo o livro pra quem gosta de um bom romance de época, mas quer se aventurar num tipo diferente.


13 comentários:

  1. Menina do céu! Como eu ainda não conhecia esse livro? Sou daquelas que compra o livro pela capa, e confesso que essa não me chamou a atenção. Mas a sua resenha! Uau!! Fiquei beeem curiosa aqui. Principalmente para saber se Argemiro resolve conhecer Alice. Parece uma história e tanto!
    Mil beijokas!

    ResponderExcluir
  2. Que resenha maravilhosa! Depois dessa resenha quero muito ler esse livro! vou adicionar na minha lista já haha
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Oi Déborah! Nossa estou até me sentindo mal por não conhecer essa obra. Desde a sinopse já fiquei com vontade ler, então sua resenha despertou aquela vontade de "preciso saber mais" rsrsrs pesquisei a respeito e, é um clássico, e precisa ser lido rapidamente.
    Como levantou na sua resenha a sinopse realmente diz muito, e isso é um problema que enfrentamos com a maioria das reedições de clássicos. Alguns chegam a ter spoiler na sinopse :/
    Sua resenha ficou ótima acima de tudo amore, consegui captar bem a essência do livro.
    Beeijos

    ResponderExcluir
  4. Olá
    Eu adoro romance de época e achei essa história tão diferente que me deu muita vontade de ler.
    Que vom que trouxe essa resenha para nós, adorei saber mais sobre o livro e autora.
    Beijuh

    ResponderExcluir
  5. O Deby!
    Que resenha bacana!
    Eu gosto de romance de época (às vezes)rs
    Esse me chamou a atenção até por ser nacional, pelo que vc descreve parece ser leve e gostoso de ler.
    Aceito a dica.
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Olá, não costumo ler romances de época, mas achei a história tão diferente e sua resenha me animou a ler, quero saber se Argemiro resolveu conhecer a Alice. Saber sobre a autora foi muito bom também, dica anotada, bjs

    ResponderExcluir
  7. Oii! Amo romances de época e nunca tinha ouvido falar deste. Mas já quero. Realmente a sinopse é bem completa e instigante, o que já me despertou interesse. Como sua resenha foi super positiva, fiquei com ainda mais vontade de ler. Já vou anotar na minha lista. Beijos

    ResponderExcluir
  8. Olá tudo bem amore,
    Não curto livros de época... por isso não curti muito esse não. E a capa não me instigou não.
    Sua resenha está uma graça, parabéns. Mas, não é um livro que eu queira ler nesse momento.
    Beijokas!

    ResponderExcluir
  9. Oie!!
    Nossa como pode eu não ter conhecido esse livro? Amei a capa e essa resenha? Me apaixonei!!
    Como não o conhecia, vou dar mais uma olhada por ai sobre ele e quem sabe não me aventuro nessa história tbm

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  10. Oi Deby, eu adoro essa coluna...

    Entendo que para ler no ônibus a leitura tenha que ser daquelas que prendem mesmo, pois é muita conversa que você quase não consegue se concentrar. Digo isso pq leio muito no transporte coletivo, kkk

    Abraços

    ResponderExcluir
  11. Ah! anotei depressa essa dica! Eu gosto muito mais de romances de época nacionais do que os estrangeiros. Acho que me saturei da Inglaterra ou da França... Não consigo mais ter conexão com eles, mas os nacionais me encantam! Achei a premissa dele ótima já que, com a graça de todos os deuses, a protagonista não vive pelo coleguinha. Espero poder ler em breve! ;)

    ResponderExcluir
  12. Oiii!!
    Não conhecia o livro e amei a sinopse dele.
    Gosto muito de romances de época, e achei esse livro bem interessante. Já pensou trabalhar em uma casa que o patrão não quer te ver? Achei engraçado essa situação, mas sei que isso acontecia muito antigamente. Eu leria com certeza.
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Olá Deby.
    Esse livro foi muito recomendado por uma das meninas do blog, adoro romance de época, e as edições da PedrAzul são muito bonitas e caprichadas.
    Parabéns pela resenha.

    Giu

    ResponderExcluir

 
© Copyright 2015. Template by LuMartinho.