26 julho 2017

0

Pra ler no busão: O conto da aia

Título: O conto da aia
Autor: Margaret Atwood
Páginas: 368
Ano: 2006
Edição lida: 1ª edição
Editora: Rocco

Sinopse"Escrito em 1985, o romance distópico O conto da aia, da canadense Margaret Atwood, tornou-se um dos livros mais comentados em todo o mundo nos últimos meses, voltando a ocupar posição de destaque nas listas do mais vendidos em diversos países. Além de ter inspirado a série homônima (The Handmaid’s Tale, no original) produzida pelo canal de streaming Hulu, a ficção futurista de Atwood, ambientada num Estado teocrático e totalitário em que as mulheres são vítimas preferenciais de opressão, tornando-se propriedade do governo, e o fundamentalismo se fortalece como força política, ganhou status de oráculo dos EUA da era Trump. Em meio a todo este burburinho, O conto da aia volta às prateleiras com nova capa, assinada pelo artista Laurindo Feliciano."

Sabe quando você lê um livro sem grandes pretensões e acaba se apaixonando tanto pela escrita como pela narrativa dele? Pois é, foi exatamente isso que aconteceu comigo enquanto lia O conto da aia.

A leitura é simples e a escrita da autora é incrível, palavras certas e cenas muito bem elaboradas.

Com certeza essa foi uma distopia que eu amei!

A obra nos contará a história de Offred, uma aia, que é obrigada a servir uma família muito poderosa da República de Gileade por ser fértil.

A República de Gileade é um Estado teocrático e totalitário em que as mulheres são vítimas preferenciais de opressão, tornando-se propriedade do governo, principalmente aquelas que se mostraram férteis por já terem tido um filho antes da sociedade chegar como está.

Offred foi arrebatada do marido e sua filha foi arrancada para que ela pudesse servir ao governo.

Offred nem sequer é o nome dela, elas, as aias, vão mudando de nome na medida que vão mudando de família.

A história é maravilhosa e vai mostrando como essas mulheres sem voz lutam para ter suas vidas de volta e mostrar que tem voz e força.

É uma tarefa difícil, mas June (nome verdadeiro de Offred) se mostra uma mulher cheia de ideias e que não está disposta a desistir, principalmente para ter sua filha de volta.

O fato de a obra ter um time tão atual, principalmente, com a história dos EUA faz com que a gente reflita mais ainda sobre o que Atwood passa na sua história.

Vale muito a pena a leitura. A revisão está sem problemas e a nova capa da Rocco tem muito a ver com a história.


0 comentários:

Postar um comentário

 
© Copyright 2015. Template by LuMartinho.